Guias

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Manuê de Fubá com Calda de Laranja

    Junho já está chegando ao fim, mas nunca é tarde para um bolo de fubá, tão tradicional nessa época de festas juninas. Já postei diversas versões, como o Bolo de Fubá de Canjica, o Bolo de Fubá com Calda Limão Siciliano, o Cremoso de Fubá, o com Calda de Goiabada e o de Amendoim com Fubá, mas desta vez fiz um sem glúten, chamado Manuê de Fubá.  


   O Manuê não passa de um pão de ló que leva muitos ovos, pouca gordura, leite de coco e apenas fubá, que é livre de glúten. É uma receita bem antiga que está no caderno da minha mãe e que sempre ficava com o pé atrás de fazer, por achar que o fubá deixaria o bolo muito seco.


   Ao contrário do que eu imaginava, no final ele fica bem fofinho e úmido, realmente bem diferente dos bolos de fubá que estamos acostumados. E se você ainda quiser um bolo sem lactose, basta continuar a usar o leite de coco e substituir a manteiga por gordura de coco. Também fiquei pensando em trocar a manteiga por óleo vegetal ou azeite, mas ainda preciso testar essa versão pra ter certeza de que fica bom.


   Mudei também a cobertura do bolo. Na verdade era para cobrir com uma glacê de leite de coco com açúcar de confeiteiro, só que preferi fazer uma calda de laranja e servir as fatias de manuê acompanhadas por gomos de laranja. 


   Fiz outro Manuê nesta sexta-feira e cobri com o tal do glacê de leite de coco com açúcar de confeiteiro. Não tenho uma receita exata para ele, costumo fazer à olho, ou seja, coloco um pouco do açúcar num recipiente e vou acrescentando o leite até que fique com consistência de brigadeiro mole, nem muito espesso e nem ralo, ele deve ficar branco e escorrer lentamente quando colocado sobre o bolo, além de secar e formar uma casquinha quando esfriar.


    Para este bolo da foto, fiz apenas meia receita, por isso que rendeu um bolo pequeno, mas a receita inteira rende um bolo bem maior (o tamanho das assadeiras está indicado abaixo).

domingo, 21 de junho de 2015

Bolo Junino de Doce de Leite com Amendoim

   Junho sem bolo de amendoim pra mim não dá e mesmo com a volta da minha dieta severa, tirei o último final de semana das gordices só pra fazer esse com amendoim e doce de leite.


   Foi um bolo improvisado, saí ainda cedo no domingo para comprar o amendoim, fiz um pão de ló bem simples, cozinhei uma lata de leite condensado para o recheio e usei um doce de leite chileno bem consistente e escuro como cobertura.


    Mas queimei o amendoim! Não ao ponto de ter que jogar tudo fora, só ao ponto de ter que perder o tempo que já estava escasso separando amendoim por amendoim, porque a final, apenas alguns deles queimaram demais. Os outros que restaram ficaram com um sabor tostado mais exagerado do que o comum, mas deu pra usar.


   Na hora de fazer o recheio, fiquei com medo do bolo ficar muito doce, já que queria fazer três camadas de leite condensado cozido mais a cobertura de doce de leite. Então, misturei o leite condensado cozido com creme de leite e um pouco de gelatina sem sabor, pra amenizar o açúcar e dar mais consistência.


    Como cortei meu pão de ló em três discos, nem precisei umedecê-los com calda como costumo fazer sempre, porque bolo ficou bem úmido e cheio de recheio.


quinta-feira, 18 de junho de 2015

Torta de Carne Seca com Queijo de Coalho

   Repost: Torta de Carne Seca com Queijo de Coalho da A Torteria: fotos atualizadas e receita pouco modificada!


   Depois de ver a reportagem sobre tortas no Paladar (Estadão), fiquei morrendo de vontade da Torta de Carne Seca com Queijo de Coalho que apareceu nas fotos. Mas a receita não estava no jornal, só depois fui descobrir que eles acabaram postando todas elas no site. 


   Não só o recheio chamou a atenção, mas também a massa, que leva farinha, manteiga, sal e iogurte natural. Eu particularmente adoro massas (seja de torta, pão ou até mesmo bolo) que levem iogurte natural. Acho que o sabor e a textura final do prato mudam bastante e ficam até mais gostosos.


    Fiz algumas pequenas alterações nessa segunda vez: não misturei o queijo de coalho com a carne seca refogada, preferi fazer uma camada da carne e depois cobrir com os cubos de queijo. Ah, e também aumentei a quantidade de carne, pois da outra vez achei que tinha ficado pouco recheio pra muita massa. 


    Este não é daqueles tipos de torta com massa crocante e que esfarela ao cortar (tipo empada), é uma torta com massa bem macia e ainda fica ótima se acompanhada por uma salada.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Bolo de Abacaxi com Coco Fresco

   Repost: Percebo (agora que já tenho mais ou menos 600 posts aqui no blog) que chegou a hora de refazer e adaptar algumas receitas e trocar as fotos de outras pra deixar o. E então escolhi refazer este Bolo de Abacaxi com Coco Fresco esta semana para o anivrsário de 66 anos de casamento dos meus avós.



    Esta receita é bem antiguinha, já tem quase três anos aqui no blog, e foi uma criação minha e da minha mãe, baseada num bolo de abacaxi daquela franquia de bolos Sodiê Doces. A primeira versão tinha ficado boa, só que foi só desta vez que eu realmente consegui acertar direitinho os recheios e a montagem.


   Um dos cremes do recheio era uma tal de mousse branca com cubos de abacaxi cozido em calda. Lembro que tentamos desenvolver várias receitas desta tal mousse mas nenhuma teve o resultado esperado. Desta vez então, adaptei a receita com base no creme de leite Ninho que fiz semana passada: fiz uma mousse branca com creme de leite, adocei com leite condensado, coloquei um pouco de leite Ninho para deixar um sabor especial e dei "ponto" com a gelatina incolor.


   A outra camada de recheio é uma cocada, cremosa e super fácil de fazer. Sempre faço ela com coco fresco porque acho que fica mais cremosa e úmida, mas dá certo com o seco também. E basta cozinhar em fogo alto por alguns minutinhos para os líquidos secarem e o doce chegar no ponto de espalhar.


    A cobertura é chantilly com coco ralado. Tentei fazer uma decoração com fatias de abacaxi carameladas só que não deu lá muito certo e inclusive o caramelo ficou muito escuro. O sabor ficou bom também, porém, preciso testar outra receita de novo antes de postar pra vocês.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Taça de Leite Ninho com Morangos

    Este é aquele tipo de sobremesa rápida, pra fazer de última hora ou quando não estamos com muito tempo para fazer algo mais elaborado, mas que no fim acaba fazendo uma presença e chamando a atenção de todo mundo.


   Outro dia uma leitora aqui do blog, a Fernanda Lara de Freitas, me perguntou no post do Bolo Olho de Sogra se ela podia trocar o recheio de beijinho por um tal de Chantininho, um creme feito a base de leite Ninho, leite condensado, creme de leite e chantilly. No comentário ela já me passou a receita e disse que aquela quantidade rendia bastante.


   Eu fiquei muito curiosa e morrendo de vontade de fazer e comer o tal de Chantininho e deixei a receita anotada para ser testada, até porque já faz um bom tempo que eu venho procurando uma boa receita de creme de leite Ninho para rechear bolos e até então nunca tinha encontrado uma decente. 


    Foi no domingo passado que enfim surgiu a oportunidade de fazer o Chantininho. Já não dava mais tempo de preparar nenhum tipo de sobremesa muito incrementada e aí me veio a ideia dessa taça, composta por camadas de morangos picados, biscoitos de leite daquele da vaquinha (ou o que você preferir) e o Chantininho. A única diferença é que diminui as quantidades da receita porque não precisava de muito creme.


   Achei que na hora de balancear a receita acabei colocando muita gelatina e por isso meu creme ficou muito firme, sei lá, com uma textura bem estranha então já adaptei a quantidade para que o creme fique mais aveludado e não com textura grudenta.


sábado, 16 de maio de 2015

Arroz Doce de Coco com Calda de Ameixa

    E depois de um mês desaparecida, estou finalmente de volta. Faculdade, trabalhos, estágio, mas finalmente arrumei um tempinho para parar um pouco e voltar a escrever. Senti muita falta de compartilhar minhas receitas com vocês, mas fiquem tranquilos, agora voltei a ter um tempo livre e com isso vou colocando todas as receitas fotografadas neste mês em dia. 


    Este Arroz Doce de hoje é um pouco diferente daqueles que a gente está acostumado a comer nas festas juninas, até porque é uma sobremesa típica da Tailândia e que por sinal aprendi durante as aulas de Ásia na faculdade. Além de ser cozido em apenas leite de coco e açúcar, deve ser feito com aquele arroz moti, próprio para o preparo de doces.


    O leite de coco usado para a cocção do arroz deve ser especial também, ou seja, existe um leite de coco tailandês que vem dentro de latinhas de 400 ml e é bem mais concentrado e cremoso do que os vendidos aqui no Brasil, só que ele é bem difícil de encontrar, mesmo na Liberdade lá em São Paulo, então indico que usem o normal mesmo.


    E o que faz a diferença desse arroz doce para o comum é realmente isso, o fato de você ferver os grãos já cozidos no leite de coco puro, transferindo à eles um sabor único, leve e adocicado. A apresentação tradicional tailandesa é servir uma porção do arroz doce com cubos de manga. Mas me inspirei na sobremesa "Manjar de Coco com Calda de Ameixas" para criar uma apresentação diferente.


   Fiz uma calda com ameixas secas, água e açúcar para colocar sobre o Arroz Doce de Coco e decorei também com algumas lascas de coco fresco. Ah, e #ficadica: sirva ele bem gelado que é ainda melhor!
   

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Cookies de Aveia com Cacau

    Adoro cookies de aveia, tanto que ultimamente tenho comprado muito os industrializados pra comer a qualquer momento, principalmente quando bate aquela fominha ou não dá tempo de almoçar... E apesar de ter várias opções diferentes e bem saudáveis no mercado, fazer cookies de aveia em casa é muito mais gostoso!


    Essa receita teve inspiração nos cookies de cacau com avelã da Nutry, que são bem crocantes, pouco doces e tem bastate gosto de cacau. Então, num sábado a noite, adaptei a receita de cookies normais para criar essa versão 100 % integral, feita com cacau 70 % e no lugar das avelãs, gotas de chocolate também 70 %.


   Não é um cookie light, é apenas uma saída mais saudável e talvez melhor do que os tradicionais. Aqui, prefira a aveia em flocos médios. Não use nem os finos, senão some do meio da massa, e nem aqueles flocos inteiros que deixam a massa se desfazendo. Tem que dar para você sentir o sabor da aveia, mas ao mesmo tempo ela tem que se unir um pouco com os demais ingredientes.


   Um ingrediente que faz toda a diferença aqui e que acredito fazer toda a diferença no cookie industrializado da Nutry é canela. Dá pra perceber direitinho o sabor dela na massa do industrializado e por isso coloquei nos meus. Canela com chocolate combina perfeitamente, principalmente se for um chocolate mais amargo.


    Infelizmente meus cookies não ficaram tão crocantes quanto eu queria, mas mesmo assim gostei bastante do resultado e com certeza farei novemente, com as avelãs, as gotas de chocolate e bastante canela em pó!

domingo, 12 de abril de 2015

Cheesecake de Oreo com Nutella

   Se cheesecake tradicional já é bom, agora imagina uma versão feita com uma massa crocante de Oreo triturada, bicoitos Oreo triturados misturados no creme e tudo coberto por uma camada de Nutella... Ah, e também algumas mini Oreos na decoração!


    Não costumava fazer cheesecake com muita frequência, já que são poucas as pessoas que curtem a combinação de queijo cremoso com doce. Isso até eu fazer a versão tradicional assada, que leva ovos no creme. O sabor do cream cheese fica bem mais sutil e a cheesecake, muito boa!



   Unindo duas receitas e depois adaptando essa junção, consegui criar a minha própria receita de cheesecake. Uma das usadas foi a Cheesecake de Oreo com Doce de Leite da Dani Noce e a outra foi uma tradicional que fiz durante as aulas de confeitaria na faculdade.


   Outro ponto que contribuiu para uma cheesecake com sabor bem leve de queijo,foi não colocar toda a quantidade de cream cheese que ambas receitas usadas como base mandavam. Ao invés de 700 g, coloquei apenas 500 g, o açúcar, os ovos, limão e baunilha, além de 100 g de Oreo triturada com o recheio.


    A Dani cobriu a cheesecake de Oreo dela com doce de leite e eu super curti a ideia, deve ficar muito bom também, mas admito que Nutella combina bem mais com Oreo. E cá entre nós, não tem nada mais delícia e gordice do que combinar os dois numa receita só.


   Dá pra você fazer tanto uma cheesecake grande (de 20 cm de diâmetro) ou assar mini cheesecakes, a única coisa importante é só prestar a atenção no tempo de forno e no ponto do creme, que deve ficar cremoso depois de frio.


sexta-feira, 3 de abril de 2015

Naked Cake de Pêssegos com Amaretto

  Semana passada foi aniversário do meu pai e infelizmente só deu pra comemorar no domingo passado. Mas valeu a pena esperar, porque fiz Nhoque de Ricota e um Naked Cake com Pêssegos em Calda e biscoitos Amaretto para a comemoração.


   Esse semestre tenho aula de Cozinha Italiana na faculdade, então estou aprendendo as mais deliciosas receitas clássicas italianas e outras nem tão conhecidas. Esse cardápio de hoje foi inspirado na minha última aula, onde fizemos nhoques de ricota com cogumelos. Já postei uma receita bem semelhante aqui no blog, mas com molho de tomates e por isso preferi não postar de novo.


   Já para o naked cake, me inspirei na sobremesa Pesche Ripiene con Amaretti ou pêssegos assados em espumante Moscatel recheados com creme de confeiteiro e biscoitos amaretto. Adorei esse recheio, que é um creme de baunilha misturado com parte da polpa dos pêssegos, os biscoitos amaretto, amêndoas e licor de amêndoas.


   Como é díficil de encontrar bons pêssegos frescos nessa altura do ano, usei pêssegos em calda picados no creme e ao invés das amêndoas, nozes, já que não encontrei amêndoas no supermercado. O licor pode ser tanto o Amaretto quanto o Frangélico, ambos italianos e de muito boa qualidade. Caso você não encontre ou não queira, não precisa colocar.


   Pra quem não conhece, amaretto são biscoitos italianos feitos com claras de ovo, açúcar e farinha de amêndoas. Dá pra fazer em casa, mas os comprados prontos são melhores. Geralmente você encontra para comprar em lojas de produtos impotados, empórios, etc.


domingo, 22 de março de 2015

Bacalhau à Bráz e Bolo de Legumes Integral

   Reconheço que este ano não rolaram receitas para a Páscoa, ando meio ocupada, e por isso nem tempo de cozinhar tenho mais. Mas pelo menos consegui trazer essas duas receitas para vocês fazerem no almoço da Sexta-feira Santa ou mesmo do domingo de Páscoa: um Bacalhau à Brás acompanhado por Bolo de Legumes Integral.


   Este bolo de legumes é uma receita da minha avó, para reaproveitar sobras de legumes refogados ou usá-los frescos mesmo. Já tinha postado aqui no blog, mas como as fotos estavam bem zoadas, preferi excliur o post e fazer outro. Não é para ficar um bolo fofinho e com massa bem desenvolvida, na verdade, ele deve ficar bem denso, com muitos vegetais e a farinha deve entrar apenas para unir tudo. Por este motivo, desda vez troquei a comum pela integral e deu super certo!


   Foi a primeira vez que eu fiz Bacalhau à Brás, aquele feito com bacalhau desfiado puxado no azeite com cebolas e alho e depois misturado com batata palha e ovos mexidos. Antes de servir, basta um cheiro-verde, uma salada e um pedaço desse bolo de legumes ou um arroz branco para a refeição ficar completa.


    Às vezes, durante a semana, trocamos o bacalhau por atum enlatado.  É claro que com o bacalhau fica melhor, mas não é todo dia que dá pra comer bacalhau, né, então é bom ter outras opções para o dia a dia e guardar o bacalhau para servir nessas ocasiões especiais.


   São duas receitas bem caseiras e por isso hoje não vou colocar medidas em gramas. É pra fazer as duas sem pressa e sem preocupação...