Guias

sábado, 27 de setembro de 2014

Costela de Porco Assada, Batatas Laminadas com Bacon e Parmesão e Feijão Tropeiro

   Domingo com costela assada, batatinhas laminadas, feijão tropeiro... Não tem nada melhor! Eu sei que tudo é um pouco calórico, mas pelo menos teve uma salada de alface para dar um tom verdinho ao prato.


    A costela foi apenas temperada e assada no forno até estar bem macia e dourada, já as batatas vieram como uma ideia de última hora. São também bem fáceis de fazer, só vale lembrar que não é ideal deixar que cozinhem demais, senão fica difícil de cortar as lâminas. E também é preciso ter a mão leve, pois um deslize pode cortar a batata em vários pedaços e estragar a apresentação do prato.


   O feijão é receita de família, minha avó faz assim e por isso minha mãe sege o mesmo jeito. Agora estou passando para vocês e ele fica assim mesmo, com os grãos mais inteiros e soltinhos. O toque final, além dos pedacinhos de ovo frito misturado no meio, são uns cubinhos crocantes de bacon.


   Batatas bem gratinadas, levemente crocantes, e que ainda podem levar qualquer tipo de queijo, embutidos ou ervas!


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Pão de Mel com Ganache e Semifreddo de Doce de Leite

   Pão de Mel combina com o quê? Chocolate e doce de leite, é claro, mas por que não mudar o clássico pão de mel redondinho recheado com uma camada de doce de leite e banhado numa fina camada de chocolate por um bolinho com ganache morna de chocolate e uma bola de Semifreddo de Doce de Leite?


    Como já existem dois posts aqui no blog com a receita do meu pão de mel, resolvi postá-la novamente inovando na apresentação. Diferente de muitas receitas que encontramos por aí, este fica bem fofinho, leve e inclusive mais parecido com um bolo do que com um pão.


    Como queria fazer pães de mel em formato de bolinhos, achei que o melhor acompanhamento seria entrar com o doce de leite em forma de sorvete, mas comprar o sorvete industrializado não estava nos meus planos. Pensei logo em fazer um sorvete caseiro, mas como não tenho os ingredientes e muito menos os equipamentos necessários para a sua fabricação, escolhi a sua versão mais fácil, o Semifreddo, que leva apenas creme de leite fresco ou nata batida na batedeira com o doce de leite.


   Gostei bastante da textura e sabor dos dois: o pão de mel ficou bem leve e combinou com a ganache e o Semifreddo ficou bem cremoso e com o sabor do doce de leite. Só a coloração que ficou um pouquinho clara, porque usei leite condensado cozido, talvez se tivesse usado o doce de leite mesmo ele teria ficado com cor de caramelo.


    E ainda aproveito que hoje é Dia do Sorvete para passar esta receita super fácil e gostosa para vocês!


sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Cookies Crocantes de Gotas de Chocolate com Castanha de Caju

   Atendendo a pedidos da Debora Batista, trago neste post uma receita de Cookies, com gotas de chocolate, castanha de caju e de preferência bem crocantes, como a nossa leitora solicitou! 


   Esta foi mais uma daquelas receitas que aprendi durante as aulas de coffee break na faculdade. Os Cookies ficam bem crocantes depois de assados, e com um leve sabor de caramelo, por causa do açúcar mascavo que vai na massa combinado com o excesso de manteiga.


   Aqui não tinha jeito de querer mudar muito os ingredientes da massa ou acrescentar muitos toques pessoais, apenas troquei o tipo de chocolate e das castanhas. E o legal dos Cookies é isso, poder usar qualquer tipo de frutas secas, castanhas, chocolates e confeitos para dar sabor a eles. Que tal uvas-passas, cranberries secas, damasco, figo seco, gotas de chocolate branco, nozes pecã, avelãs, amendoins, amêndoas, coco ou M&M's?


   Uma das partes que mais gostei dessa receita foi poder congelar a massa e só ir assando o que vai ser consumido no dia, até porque, cookies fresquinhos são bem mais gostosos do que os já amanhecidos, não é mesmo? Se bem que é difícil comer um só e é bem provável que você tenha que fazer vários para matar a vontade de todo mundo, mas funciona muito bem esta dica. Eu mesma separei um pedaço dessa massa no congelador para assar Cookies fresquinhos no final de semana e servi-los juntos com o café pós refeições.


   Se eu fosse você, ia agora mesmo para a cozinha e fazia esses Cookies, pois a final de contas, final de semana pode! Está com vontade de alguma receita? Deixe então o seu pedido nos comentários do blog, no Facebook ou no Instagram!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Palha Italiana

   Já contei aqui no blog o quanto estava com vontade de comer Palha Italiana no ano passado. Sim, acho que faz quase um ano que me lembrei desse docinho tão gostoso e ao mesmo tempo simples de fazer, mas até então só tinha arrumado a oportunidade para testar uma outra versão, a Palha Italiana de Leite Ninho.


    A Palha Italiana Tradicional nada mais é do que um brigadeiro em ponto de enrolar misturado com biscoitos de leite quebrados grosseiramente e depois cortado em quadradinhos. Normalmente costuma-se passar cada quadradinho no açúcar de confeiteiro ou o próprio refinado, mas acho que fica muito doce. Por isso, escolhi passar minhas Palhas Italianas em Leite Ninho, para quebrar o excesso de açúcar e deixá-las um pouco mais interessantes.


   Escolhi mudar o típico companheiro dos bolos de aniversário, o brigadeiro, por esta Palha Italiana na última festa que teve aqui em casa e até que ela teve uma boa aceitação. Ficou bem gostosa, deu para matar minha vontade, só achei que os biscoitos ficaram meio murchos. Tendo que fazer o bolo, pães, maionese e ajudar no preparo das comidas, não tinha muita escolha a não ser preparar os docinhos uma noite antes do almoço. Da próxima vez deixo para fazer no dia, até porque acho que Palha Italiana com bolacha murcha perde toda a graça!


   Quer Palha Italiana? Então escolha uma das duas receitas (ou as duas) e faça agora mesmo!


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Muffins de Blueberry da Starbucks

   Esta semana tivemos nossa última aula de café da manhã/coffee break/brunch na faculdade (vejam as fotos na minha página no Instagram). Durante um mês aprendemos a fazer desde ovos fritos, cozidos, assados, omeletes, passando pelas panquecas, waffles, receitas regionais brasileiras, geleias, pratos de frutas e frios até chegar nos bolos, biscoitos e muffins! E eu que adoro fazer tudo isso, nem devo ter gostado, né?


   Fizemos três tipos de muffin: de chocolate, maçã e um salgado (como este). Adorei os três e escolhi refazer o de maçã na semana passada, só que mudei um pouco a receita. Um dia desses dei uma passada na Starbucks e comi um Muffin de Blueberry, que aliás eu acho uma das únicas opções verdadeiramente gostosas da loja (acho as bebidas, quando não sem graça, enjoativas). O fato é, esses tais de muffins de maçã eram exatamente iguais aos da Starbucks, com aquela coberturinha açucarada e crocante e uma massa fofinha.


   Comprei as blueberries, um pouco de açúcar mascavo, algumas forminhas de papel para muffins e fui para a cozinha testar a minha versão. Troquei o açúcar refinado pelo mascavo porque a massa do muffin da Starbucks é meio escura, para o lado do marrom, e não branca. Fiz mais um ajuste dali e outro daqui em outros ingredientes para combinar com as blueberries e coloquei os muffins no forno. Eles são super fáceis de fazer, é só misturar os ingredientes líquidos com os secos numa tigela e distribuir dentro das forminhas.


   Depois de alguns minutinhos no forno eles já estavam lá, bem crescidos e corados. Ficaram bons, bem parecidos com os originais e ótimos para acompanhar uma bebida quente. Se você tem dificuldade em encontrar os mirtilos, até porque eles também são um pouco caros, não se preocupe, use a fruta que mais gostar. Pode ser banana, pera, abacaxi, pêssego, alguma fruta seca ou castanha, framboesas (troquei 6 por meia dúzia, né, mas fica a dica!) ou as próprias maçãs do início da conversa.


   Fica bom acrescentar canela em pó ou alguma outra especiaria na farofinha da cobertura. No muffin da Starbucks não vai, então é por isso que eu não coloquei, mas as versões com banana e maçã não serão mais as mesmas sem a canela para acompanhar!

domingo, 7 de setembro de 2014

Naked Cake de Doce de Leite com Morangos

   Amanhã é aniversário da minha avó, mas foi hoje que teve bolo. Percebi que já havia algum tempo que não fazia Naked Cakes e criei uma versão com Doce de Leite e Morangos para a comemoração!


   Além de ser um Naked Cake, queria um bolo de andares. Dois, pelo menos. Assei dois pães-de-ló pequenos, 20 e 22 cm de diâmetro, e recheei cada um deles com uma camada de doce de leite (na verdade foi leite condensado cozido) e outra com um creme de baunilha um pouco diferente daquele que eu costumo fazer.


   Normalmente, ou na maior parte dos bolos recheados que ando fazendo nos últimos tempos, faço aquele tradicional creme com baunilha por ser bem fácil, ficar bem neutro, não muito doce e nem enjoativo. E como uma das camadas era de doce de leite, achei que ele seria a melhor opção. Ao invés de bater o açúcar com as gemas e o amido de milho antes de misturá-los ao leite fervido com a fava de baunilha, derreti ele até formar um caramelo. É claro que este caramelo endureceu na hora e formou uma bala gigante, só que depois de alguns minutos fervendo em fogo baixo, foi possível acrescentar o amido de milho e as gemas dissolvidas em leite para formar o creme. 


    A coloração desse creme ficou bem parecida com a do doce de leite e o sabor com um leve toque do caramelo. Achei que para combinar a melhor fruta seria morango, até porque eles estão vindo ótimos, docinhos, graúdos, bem vermelhinhos e ainda direto de Atibaia, cidade perto de Bragança que é conhecida por suas plantações de morangos.


   A massa é aquela de sempre também, que leva apenas ovos, açúcar e farinha de trigo. E não, realmente não vai fermento, são as claras em neve batidas com os demais ingredientes que darão volume ao pão de ló. O único problema que vejo nele é em relação a quantidade de calda que é suficiente para umedece-lo sem deixar que uma papa se forme no fundo do bolo. Esses últimos bolos que fiz ficaram molhados demais então vale dar um pouco mais de atenção na hora de colocar a calda, já que a massa é mais aerada e absorve mais líquidos.


   Como é um bolo "pelado", você tem que caprichar na decoração e usar frutos vistosos, confeitos, um creme ou até flores comestíveis para que ele fique bonito e dê vontade nos seus convidados!

sábado, 6 de setembro de 2014

Torta de Batata com Carne Moída

   Essa é mais uma daquelas receitas que já tinha sido postada há muito tempo mas que não tinha fotos muito boas. Fizemos então para o jantar desta última sexta esta Torta de Batatas com Carne Moída, uma invenção da minha avó, para atualizar o post.


  A massinha fica super leve e lembra mais em consistência a um purê do que uma massa de torta que possa sem aberta com rolo de massas. O ideal aqui até seria abrir com as mãos levemente umedecidas ou untadas com óleo. Usar uma colher ou espátula, também umedecida ou untada com óleo, ajuda a se obter uma massa uniforme de maneira mais fácil.


   O recheio que minha avó e minha mãe sempre colocam é de carne moída refogada com molho de tomates, ovos cozidos, azeitonas e ervilhas, mas não é por isso que você tem que fazer desta maneira. Lembro-me que alguns anos atrás minha avó mesma fez uma versão recheada com frango desfiado ao molho de tomates e milho verde e outra em que mandioca entrou no lugar da batata na massa.


   De vez em quando colocamos queijo ralado no lugar dos ovos cozidos, então é por este motivo que citei ambos como ingredientes do recheio. Escolha o que fica melhor ou aquilo que você mais gostar (confesso que com ambos é que fica top, mas às vezes falta tempo para cozinhar ovos duros ou não tem queijo na geladeira).


   E para acompanhar, o que eu poderia servir? Uma salada de folhas sempre cai bem, principalmente bem temperada com azeite, suco de limão ou vinagre e sal. Ou também pode ser um coleslaw (salada de repolho com cenoura e maionese), uma salada de batatas, um vinagrete com tomates, uma salada de leguminosas ou uma com legumes variados.


    E sabe qual é a parte que mais gosto desta torta? As pontas! Sim, as laterais que ficam em contato com o refratário, pois são elas que ficam mais douradinhas e com aquela casquinha de queijo derretido crocante!
   

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Pain aux Raisins

   Já falei para vocês que meu tempo anda meio curto tanto para fazer quanto para postar receitas aqui, mas o maior problema é que quando finalmente decido fazer algo, não dá certo. No final de semana passado, inventei de fazer Brevidades de Leite Condensado e um Pavê de Doce de Leite, mas as Brevidades ficaram secas e o Pavê desmoronou quando tirei o aro. E é por causa desses acidentes que não tenho receitas para postar durante esta semana. Mas espera aí, parece que tinham alguns Pains aux Raisins aqui na caixa de rascunhos...


    Adoro Croissants (acho que todo mundo já notou isto), tanto que outro dia, ainda durante as férias, fiz uma receita dessas delícias folhadas e amanteigadas para matar a saudade de Paris e como fazer gordice sozinha não tem graça, chamei alguns familiares para comer também. Foi no mesmo dia que fiz a Torta de Frango de Liquidificador deste post. A sobremesa ficou por conta desses Pães de Uvas Passas, acompanhados por café.


   Os Pains aux Raisins são tão típicos e tradicionais na França quanto os próprios Croissants. Os franceses os comem no café da manhã ou na hora do goûter, o nosso lanche da tarde. São basicamente feitos com a mesma massa do Croissant, mas recheados com um creme de baunilha e uvas passas pretas. Como enrolamos a massa igual a um rocambole e depois cortamos fatias dele, há também quem os chame de escargots (ou caracóis).


   Para quem prefere os Croissants, acesse este link, já que neste post de hoje só vou colocar o passo a passo dos caracóis de passas. Está também, neste link de cima, a receita dos Pães de Chocolate franceses, que vale a pena dar uma conferida também!


   Ficou com vontade de comer um Pain aux Raisins? Porque eu fiquei! Então acho que a solução é correr para a cozinha e aproveitar que o final de semana está aí para isso: cozinhar e engordar!


sábado, 30 de agosto de 2014

Bolo de Banana com Passas

   Nesses últimos tempos, ando meio sem tempo de postar aqui no blog. Todas aquelas horas de ócio que eu tinha nas férias foram trocadas por horas estudando gastronomia. Por isso, há alguns posts meio atrasados aqui na caixa de rascunhos, ou melhor, nem tem dado muito tempo de cozinhar algo diferente. Mas enfim, temos um bolo, que também pode ser chamado de Banana Bread: um pão rápido feito com bananas maduras amassadas e fermento em pó.


   Fiz este bolo de cabeça e de última hora. Bati manteiga com açúcar mascavo e gemas na batedeira, acrescentei farinha de trigo normal e integral, um pote de iogurte grego e no final incorporei as claras em neve e o fermento em pó delicadamente à massa. Depois só precisei colocar na forma de bolo inglês e levar ao forno.


   Não é para ficar um bolo muito fofinho ou leve, ele tem que ficar mais denso, firme, para parecer um pão. E como coloquei também um pouco farinha integral, ela deixou a massa do Banana Bread ainda mais compacta, mas nem por isso sem graça. Aliás, nem parecia que ela estava lá.


   Uma das partes mais legais de fazer Banana Bread é poder acrescentar frutas secas e/ou castanhas para deixá-lo ainda mais saboroso! Você também pode fazer como eu e acrescentar alguma gordice, como gotas de chocolate, misturar Nutella, doce de leite, pedaços de biscoito... Escolhi para o meu algumas uvas passas pretas, o restante da paçoquinha caseira que tinha sobrado do Brownie da semana passada e algumas lascas de chocolate. Ainda acrescentei também uma pitadinha de canela em pó para combinar com o sabor das bananas.


    Um charme que resolvi acrescentar ao meu Banana Bread foi assá-lo com papel manteiga, para dar aquele ar de bolo caseiro, ideal para começar ou terminar o dia, acompanhado de uma xícara de café ou chá!

sábado, 23 de agosto de 2014

Brownie de Lindt com Paçoquinha Cremosa Caseira

   Sabe aquele dia que você está sem ideias? Domingo passado foi assim! Não tinha uma sobremesa em mente para fazer no almoço. Bom, na verdade eu tinha uma, mas não tinha farinha de trigo suficiente na despensa.


   O jeito foi recorrer a alguma receita que não levasse a tal da farinha ou que levasse bem pouca quantidade, mas acontece que já era tarde e não tinha tempo de fazer nada que precisasse gelar, tipo cremes, mousses ou pudins. Lembrei rapidamente de um Brownie de Doce de Leite de um livro chamado Sweet Life in Paris, do David Lebovitz. E não é que a quantidade de farinha que tinha dava para fazer a receita?


   Ficou faltando apenas alguns gramas para inteirar os 140 que iam na receita toda, mas isto não vem ao caso. Para incrementar um pouco a receita e como também não tinha doce de leite em casa, coloquei chocolate Lindt na massa e fiz uma Paçoquinha Cremosa Caseira para entrar no lugar.


   E foi bem rápido de fazer, nem precisa usar a batedeira. Só achei que deixei assar muito, o meu Brownie poderia ter ficado mais cremoso. Se ele passar do ponto vira bolo e o meu ficou exatamente na fronteira entre um Brownie original com o interior levemente cremoso e um bolo fofo de chocolate.


   Só sei que no final deu tudo certo: a sobremesa para o domingo saiu, o Brownie ficou uma delícia e agora tenho um estoque de farinha de trigo em casa!