Guias

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Salada de Macarrão ao Pesto

   O verão nem chegou ainda mas os termômetros já marcavam altas temperaturas insuportáveis até final de semana passado. Apesar do friozinho que chegou por aqui nos últimos dias, com certeza o calor estará de volta a qualquer momento, então que tal já ir anotando opções de pratos mais leves para comer nesta época?


   Saladas e pratos frios à base de vegetais são a melhor opção para quem quer se sentir bem e ainda não sair da dieta nesses tempos de muito calor e sol. Eu mesma troco facilmente qualquer prato de comida por uma salada bem reforçada, pricipalmente na hora do almoço e durante a semana, quando não temos muito tempo para uma refeição muito balanceada.


   Pensando nisso, e ainda aproveitando que agora entramos na área de Garde Manger (preparação de saladas, pratos frios, entradas, sanduíches) na faculdade, decidi começar o final de semana com uma Salada de Macarrão ao Pesto. Escolhi um mini penne da Barilla, mas você pode usar qualquer massa que goste ou que seja mais fácil de encontrar. E para incrementar ainda misturei azeitonas pretas, tomates-cereja, queijo (que no meu caso foi daquelas mussarelas de nozinho, porque não encontrei a de búfala) e um molho pesto.


    E para quem não conhece, o pesto é um molho do norte da Itália (região de Gênova, Ligúria), feito com folhas de manjericão, alho, pinoli, parmesão e azeite extra virgem. Como também não encontrei o pinoli para comprar, usei castanha de caju no lugar, até porque ela é bem neutra e é nossa (além de barata, principalmente quando comparada ao preço do pinoli), mas também podia ter colocado nozes. A salada fica bem gostosa, com o sabor das ervas, e também bem leve, perfeita para um dia quente...


sábado, 18 de outubro de 2014

Bolo Red Velvet

   Para quem me acompanha no Instagram, deve ter visto as fotos do meu 2º bolo de aniversário desse ano, um Red Velvet. Fiz ele no final de semana passado e de uma maneira um pouco diferente da original.


   Para começar não tinha ideia de qual massa de bolo fazer. Tinha medo de que não desse certo, e por isso já fui logo correndo para um blog que eu sabia que era confiável, o I Could Kill for Dessert. A Dani postou em seu canal um vídeo de Cupcakes Red Velvet algum tempo atrás e me lembrando deles, fiz uma receita e meia para ter o tamanho de bolo que eu queria.


   Vão diversos ingredientes nada muito comuns em bolos nessa massa, como iogurte, vinagre e uma quantidade bem grande de corante alimentício vermelho, mas no final ela fica muito gostosa, bem fofinha, úmida, vermelhinha e o mais legal, com gosto de bolo de chocolate, e não do vinagre ou do corante. E por falar nele, usei apenas 10 g na minha receita, enquanto a Dani indicava 12 g, e achei que a coloração ficou ótima, só vale ressaltar que é importante usar o em pó mesmo, você encontra ele em lojas de produtos de confeitaria, por um preço bem acessível.

Brigadeiros + Red Velvet (os brigadeiros vem no próximo post)

   Precisava de um bolo pequeno, de 21 cm de diâmetro, e por isso preferi dividir minha massa em duas assadeiras desse tamanho para facilitar o corte e ficar com um bolo de quatro camadas de massa e de recheio (sendo uma delas a cobertura). Outra alteração foi no recheio/cobertura, o original é feito apenas com cream cheese batido na batedeira com manteiga e açúcar, só que com esse calor e como o pessoal aqui de casa não gosta muito do gosto do cream cheese em sobremesas, usei apenas uma parte dele batido e depois misturado com chocolate branco e chantilly para fazer meu creme.


   O Red Velvet, ou Bolo Veludo Vermelho, fica bem gostoso e diferente, além de super leve e nada enjoativo, já que leva apenas um creme, que não é doce demais. E eu também nem precisei de batedeira para fazer a massa, o fouet já foi suficiente para deixá-la bem fofinha!

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Muffins de Baunilha com Gotas de Chocolate

   Uma receita bem fácil e rápida, perfeita para fazer de última hora, no café da manhã deste sábado ou em qualquer dia da semana, Muffins de Baunilha com Gotas de Chocolate!


   Esta é mais uma adaptação de uma receita feita durante as aulas de coffee break na faculdade. Originalmente ia cacau em pó na massa, mas prefiro meus muffins sem mais chocolate além das muitas gotinhas que vão misturadas no meio. Não que fique ruim com o chocolate em pó, só prefiro sem ele, tanto que se você quiser, pode acrescentar 30 g de cacau em pó na massa.


    Nem precisa de batedeira para preparar a massa, apenas duas tigelas, um fouet e um pão duro (aquelas espátulas de plástico que não deixam sobrar nada dentro das vasilhas). E o grande segredo dos muffins é não mexer demais sua massa, sim, é para deixar os grumos de farinha, pois são eles que vão dar leveza e ajudar seus bolinhos ficarem bem crescidos, altinhos.


   Com uma receita inteira consegui fazer 10 bolinhos, que ficaram super fofinhos e úmidos. Fiquei pensando que gotas de chocolate branco iam combinar direitinho com essa massa de baunilha, assim como outros tipos de confeitos, castanhas picadas ou até frutas secas e granola, para uma versão um pouquinho mais light.


   Outra vantagem de fazer muffins é poder guardar algumas unidades no freezer e só ir tirando quando bater aquela vontade no café da manhã, da tarde ou em qualquer horário do dia que você quiser um docinho. Basta retirar do freezer e deixar que descongelem em geladeira ou temperatura ambiente (se for para consumo imediato, pois descongelam rapidinho).


sábado, 11 de outubro de 2014

Bolo Churros

   E como prometido, aqui está o primeiro bolo do meu aniversário, o Bolo Churros! Já fiz ele duas vezes, uma na semana passada para uma primeira comemoração, mas como foi um bolo bem grande, as fotos não ficaram tão boas quanto eu queria. Por isso, refiz ele esta semana em versão menor para postar aqui.


   Na verdade eu vi este Bolo Churros no Catraca Livre e fiquei com vontade, só que não gostei muito da receita. Aproveitei então o vídeo do Bolo Bem Casado que a Dani Noce publicou no seu canal do You Tube e uni as duas receita para criar a minha.


   Fiz aquela minha massa clássica que leva apenas ovos, açúcar e farinha, porque não gosto de massa que leva manteiga e líquidos para montar bolos recheados. Fica bem mais difícil de mover as os discos de bolo, principalmente se você colocar também um pouquinho de amido de milho na massa. A Dani passou massa igualzinha a minha só que acrescida de um pouquinho de amido de milho e eu gostei bastante do resultado final, mais firme e fácil de cortar.


   Concordei com a Dani que fazer camadas de recheio apenas com o doce de leite deixaria o bolo muito doce e que uma mousse de doce de leite combinaria bem mais. Por sinal é uma mousse bem simples de fazer, basta bater um pouquinho o doce de leite na batedeira e acrescentar gelatina incolor e creme de leite fresco. Fica super leve e bem menos doce do que apenas o doce bruto. Obtive resultados diferentes em cada uma das vezes que fiz a mousse, na primeira ela ficou bem consistente e as camadas do bolo bem definidas, porém, na segunda, ela ficou exatamente como a da Dani, bem líquida, o que no final prejudicou um pouco na aparência da fatia, até porque a massa acabou absorvendo a mousse antes de que ela pegasse consistência.


   Para dar o toque "churros" da receita, umedeci cada camada de massa com uma calda feita com água, açúcar e canela em pau fervidos e depois acrescida de rum, o que deixou um leve toque de canela na massa. Outro toque foi salpicar açúcar com canela na superfície. Na primeira vez usei o de confeiteiro e na segunda o refinado, admito que com o refinado ficou bem mais gostoso e bonito.


   De qualquer maneira, o bolo ficou muito bom! E dá tanto para você fazer a versão Bem Casado da Dani quanto a Churros do Catraca Livre!

Bolo Churros:
Massa:
-4 ovos separados
-120 g de açúcar 
-120 g de farinha de trigo
-20 g de amido de milho

Modo de preparo:
Bata as claras em picos leves e, com a batedeira ainda ligada, vá acrescentando as gemas, uma a uma. Em seguida, ainda sem parar de bater, vá adicionando o açúcar aos poucos.


Desligue a batedeira e incorpore delicadamente a farinha de trigo e o amido de milho ao creme de ovos com açúcar, deixando a massa homogênea.


Coloque a massa numa assadeira de 21 cm de diâmetro untada e enfarinhada.


Asse em forno pré-aquecido a 180ºC por aproximadamente 30 minutos ou até que o bolo esteja crescido, assado internamente e levemente dourado. Desenforme ainda morno e deixe que esfrie completamente sobre uma grelha.


Mousse de Doce de Leite:
-800 g de doce de leite
-300 g de creme de leite fresco
-3 folhas (9 g) de gelatina incolor ou 10 g de gelatina incolor em pó

Modo de preparo:
Bata o creme de leite na batedeira até o ponto de chantilly e reserve (uso sempre nata ao invés de creme de leite fresco, por isso que fica um pouco mais consistente).


Bata o doce de leite por aproximadamente 5 minutos ou até que ele fique mais leve e claro.


Hidrate a gelatina em água gelada, drene para tirar o excesso de água, coloque numa panelinha com 2 colheres de sopa do doce de leite batido e leve para derreter em fogo baixo.


 Misture a gelatina ao doce de leite batido e incorpore em seguida o chantilly, aos poucos, primeiro misturando 1/3 vigorosamente e depois incorporando os 2/3 restantes delicadamente.

Consistência da segunda mousse: mais líquida, como a da Dani

Minha primeira mousse ficou mais consistente, mas talvez seja porque usei outra marca de doce de leite e acidentalmente uma folha a mais de gelatina!
 Calda:
-50 g de açúcar
-200 ml de água
-20 ml de rum (opcional)

Modo de preparo:
Leve o açúcar com a água ao fogo baixo e deixe ferver por 5 minutos ou até formar uma calda rala. Espere esfriar antes de misturar o rum.

Montagem:
Corte o bolo em três discos de mesma espessura. Disponha um deles sobre um prato com um aro de 21 cm e pincele levemente com a calda. Espalhe uma camada bem generosa da mousse de doce de leite e cubra com outro disco de massa.


Pincele mais calda sobre o segundo disco de calda e espalhe mais uma camada bem generosa da mousse. Finalize a montagem com o último disco de massa, também pincelado com a calda. Leve à geladeira por algumas horas para a mousse firmar.


 Retire da geladeira, remova cuidadosamente o aro e espalhe o restante da mousse ao redor e na superfície do seu bolo.


Polvilhe açúcar refinado misturado com canela sobre o bolo com a ajuda de uma peneira.


 Coma uma fatia bem generosa e bem geladinha!!



sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Quiche de Alho Poró com Bacon

   Dois clássicos numa receita só! Acho que todos por aqui conhecem a Quiche Lorraine, mas já a de alho poró, acredito que muita gente nunca ouviu falar. Por causa daquela minha mania de rever as receitas já postadas aqui no blog, achei o post da Quiche Lorraine e resolvi refazer a receita com fotos melhores e de uma maneira um pouquinho diferente.


   Adoro alho poró e acho que ele combina com praticamente todas as receitas salgadas, principalmente em refogados, molhos e preparações à base de carnes ou legumes. E na França ele é super comum, tanto que tem até uma quiche inteirinha dedicada à ele, a Quiche aux Poireaux (alho-poró em francês)! 


    Combinei essas duas versões e fiz uma Quiche de Bacon com Alho Poró, com esses dois ingredientes que gosto tanto. A massa é básica e serve para o preparo de qualquer quiche ou torta. E o creme do recheio também, se você não gostar nem de bacon e nem de alho poró (provavelmente você não é normal, mas isso não vem ao caso hehe), pode colocar carne desfiada, frango, atum, queijos, embutidos, vegetais e hortaliças refogadas e criar suas próprias quiches.


    Como dá para ver nas fotos, usei uma forma redonda de fundo removível comum para assar minha quiche e não deu muito certo. Além da massa ter ficado meio grudenta (e não crocante), o creme vazou pelas laterais da forma (por isso esses queimadinhos que não saem sem que você destrua toda a quiche) e como assei no forno elétrico, o creme quis dar uma crescida como um Soufflé, já que formou uma super bolha de ar bem no centro da quiche.


   Tirando esses pequenos defeitos, ela ficou boa. Bastou uma salada de vegetais variados para matar a fome da noite de sexta-feira!

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Bolo Napolitano com Calda de Baunilha e Leite Ninho

   Para mim outubro é o melhor mês do ano, mês do meu aniversário, que por sinal é hoje, dia 8. A parte que mais gosto disso é saber que quem escolhe o sabor do bolo para a comemoração sou eu. E esse ano eu me empolguei tanto com a ideia de fazer bolos para mim mesma que fiz uma enorme lista para os meus 19 anos: Bolo Churros, Red Velvet, Bolo Dois Brigadeiros Kinder Bueno e este que entrou de última hora, um mais simples, o Napolitano.


   Semana passada eu já fiz o Bolo Churros, mas como não fiquei satisfeita com as fotos que tirei, preferi refazê-lo neste final de semana e depois posto a receita para vocês. Minha intenção não era postar um bolo simples no dia do meu aniversário, só que sem outra opção, fiz o repost do Bolo Napolitano que estava nos meus planos há algum tempo para atualizar as fotos.


   Ele pode até ser simples, daqueles bolos típicos de vó, mas tanto o sabor quanto o efeito visual que ele tem chamam a atenção e agradam bastante. E para dar mais uma incrementada, um acompanhamento: calda de baunilha com Leite Ninho, feita com leite condensado, creme de leite e manteiga, bem molinha e docinha.


    Mudei as medidas dos ingredientes da receita original, que tinha sido retirada do livro do açúcar União, e troquei o método de coloração da massa rosa. Usei desta vez uma mistura de corante vermelho em pó e um pouquinho daqueles pós para refresco de morango para dar um saborzinho característico. 


    E não tem segredo montar as massas na forma, você pode tanto colocar uma de cada vez ou misturá-las com um garfo para obter um marmoreio diferente e colorido. Um bolo para o café da tarde ou até mesmo para a sobremesa!

domingo, 5 de outubro de 2014

Lasanha à Bolonhesa com Massa Caseira

   Almoço de Domingo combina com comida caseira, aconchegante e ainda com a família em volta da mesa. Também acho que combina com uma receita prática e fácil, não só de fazer, mas também de limpar a bagunça depois.


    Pensando nisso, eu e minha mãe decidimos preparar uma Lasanha com massa caseira, um prato único e que só pediu uma salada para acompanhar. E se você achar que fazer massa em casa é coisa para quem tem tempo, não sinta vergonha de comprar a massa já pronta, pois o que não falta hoje em dia são produtos e marcas de boa qualidade.


   Escolhemos fazer a mais tradicional versão desse prato italiano tão querido: camadas de massa intercaladas por molho de tomates com carne moída, presunto e mussarela, assado no forno e com bastante parmesão gratinado por cima.


    Fiz meu molho de tomates com bastantes vegetais, gosto sempre de cebola e alho, mas desta vez resolvi incluir ainda cenoura e alho poró. Depois de bem refogados em azeite, entrei com a carne moída sem qualquer resquício de gordura, refoguei até começar a fritar e juntei então vinho tinto e os tomates pelados com seu suco. Aí só precisei esperar que meu molho cozinhasse em fogo baixo até apurar bem, por aproximadamente 1 hora.


    E dá também para incrementar um pouco mais a sua Lasanha, com uma camada de molho branco, ou trocar o presunto por salame.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Bolo de Mandioca

   O Bolo de Mandioca é aquela receita bem cara de Festa Junina, seja por seus ingredientes típicos brasileiros ou pela tradição em servir o doce nesta época do ano. Mas agora não é tempo de festa junina, pelo contrário, passei os meses de junho e julho inteiros planejando fazer a receita, mas só tive tempo nesses meados de setembro/outubro.


   Tem gente que chama de Bolo de Mandioca, outros de Bolo de Aipim ou Bolo de Macaxeira, mas ainda tem aqueles que já chegam na intimidade, chamando pelo apelido, Mané Pelado. Independentemente de como você o chama, saiba que sempre virá uma fatia de bolo amarelinho, bem úmido e docinho, com o gosto do coco fresco, da mandioca, da manteiga e por vezes de caramelo, proveniente da calda que pode o acompanhar.


   Já tinha uma receita desse bolo anotada num caderno de receitas da minha mãe, só que a massa levava apenas a mandioca com o coco fresco, açúcar, ovos e manteiga, que depois era assada em banho-maria dentro de uma forma caramelada. Aliás, era esta versão que estava aqui no blog com fotos bem malfeitas e por isso resolvi fazer um repost atualizado.


    Também aprendi a fazer outra versão na faculdade, um Bolo de Mandioca que por sinal era um pouquinho diferente da receita que eu tinha, pois levava leite de coco, não era assado com a calda e muito menos no banho-maria. Uni as duas versões em uma receita só e saiu esse bolo da foto: de mandioca com coco fresco, manteiga, ovos, açúcar, assado em assadeira retangular fora do banho-maria e servido com uma calda de açúcar com leite de coco à parte.


     A apresentação ficou simples, mas posso garantir que o sabor ficou ótimo! Principalmente se o bolo ainda estiver morninho e acompanhado pela calda!

sábado, 27 de setembro de 2014

Costela de Porco Assada, Batatas Laminadas com Bacon e Parmesão e Feijão Tropeiro

   Domingo com costela assada, batatinhas laminadas, feijão tropeiro... Não tem nada melhor! Eu sei que tudo é um pouco calórico, mas pelo menos teve uma salada de alface para dar um tom verdinho ao prato.


    A costela foi apenas temperada e assada no forno até estar bem macia e dourada, já as batatas vieram como uma ideia de última hora. São também bem fáceis de fazer, só vale lembrar que não é ideal deixar que cozinhem demais, senão fica difícil de cortar as lâminas. E também é preciso ter a mão leve, pois um deslize pode cortar a batata em vários pedaços e estragar a apresentação do prato.


   O feijão é receita de família, minha avó faz assim e por isso minha mãe sege o mesmo jeito. Agora estou passando para vocês e ele fica assim mesmo, com os grãos mais inteiros e soltinhos. O toque final, além dos pedacinhos de ovo frito misturado no meio, são uns cubinhos crocantes de bacon.


   Batatas bem gratinadas, levemente crocantes, e que ainda podem levar qualquer tipo de queijo, embutidos ou ervas!